segunda-feira, 20 de outubro de 2014

PÃO DIÁRIO

No livro de J. R. R. Tolkien, O Hobbit, os anões reúnem-se contra Smaug, o feroz dragão, para recuperar seu tesouro roubado. Apesar da busca perigosa e assustadora, Balin, o segundo no comando dos anões, expressou confiança em Thorin: “Há um que eu seguiria. Há um a quem eu chamaria de Rei.” Seu comprometimento com a missão, por mais perigosa que fosse, foi reforçado por sua confiança em seu líder.
No começo do ministério terreno de Jesus, Ele reuniu um grupo ao Seu redor que realizaria a missão do Reino, que era resgatar o tesouro de almas perdidas retido por nosso inimigo, Satanás. Quando Ele os chamou, lhes disse: “…Vinde após mim…” (Mateus 4:19). Para eles, seguir Jesus significaria uma transição radical do pescar peixes à aventura de serem pescadores de homens e mulheres que estivessem perdidos e dominados pelo pecado. Mas a tarefa não seria sempre fácil; Jesus referiu-se à jornada como sendo o carregar de nossa cruz para segui-lo (Mateus 16:24; Marcos 8:34; Lucas 9:23).
Como permanecemos empenhados na batalha de recuperar os tesouros perdidos de Cristo quando isso parece assustador ou desagradável? Mantendo nossos olhos em nosso Líder. Ele sim é digno — Aquele que podemos seguir, Aquele a quem podemos chamar de Rei!

Siga seu Líder para alcançar as vidas daqueles ao seu redor.
Autor: Joe Stowell

Viagens & Memórias Literárias

VIAGENS LITERÁRIAS Johnatas Silva Apresentação Aqui estão alguns registros feitos no decorrer das aulas de Literatura Infantojuveni...